segunda-feira, 1 de julho de 2019

Le vin à la bouche! Churchill's and Quinta da Gricha 2017 Vintage Port

EN/PT

    The year 2017will be recorded in the Douro and Port wine history for several exceptional events, as it was an absolutely atypical year with uncommon weather conditions, an extremely hot and dry year that has determined a very early harvest, and there is no memory of such anticipation in the Douro region harvest records (more information: the 2017 harvest report). For Churchill's, it was the earliest harvest ever at Quinta da Gricha.
    And then, two years after the harvest, in the 2019 spring we get the first news of several 2017 vintage Port declarations. This is a new chapter in the history of many Port wine producers, the very rare event of two consecutive classic vintage declarations (a classic vintage Port is declared in those years when there is a general consensus among most producers regarding the quality of a vintage Port, which will be bottled with the house main label), the 2016 classic vintage Port is now followed by the very recent 2017 vintage declaration.

    Certainly, up to now, a very rare event in te long Port wine history and unique to many producers.

    2017 was undoubtedly an exceptional year, in which very high quality wines were produced that ended up imposing the vintage Port declaration decision by the main producers and a vintage with the main producers brands.

    As in the previous year, the 2017 vintage Port production was smaller, however, there were healthy high quality grapes (due to the warmer climatic year there was a lower incidence of vine diseases), very good quality musts, with good colour, structure and concentration, fruit intensity and firm tannins, as was also the case at Churchill's. We could define concentration and structure as the main characteristics of this year's vintages.

    At Churchill's for the first time in its history, i.e., since 1981, two classic vintages have been declared in consecutive years, a unique event.
    The house vintage Ports follow the traditional vinification method, the grapes are exclusively foot trodden with prolonged macerations for 5 days in gratine "lagares" (the grapes are vinified with the grape bunch stems), obtaining a less agressive and a more uniform maceration, which preserves the natural characteristics of the grapes and enhances the best expression of the complexity and aromatic profile of the musts. The fermentation is natural without yeats addition and is longer, thus preserving more natural alcohol without the need to add as much grape spirit in the fortification process.

    The 2017 vintage Port tasting impressions (tasted in sample before bottling):

    Churchill's Vintage Port 2017

    A vintage Port produced from an old vineyards field-blend, located in the Upper Douro and Cima Corgo Douro sub-regions, that include Touriga Nacional, Touriga Francesa, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Tinta Francisca and Tinto Cão grape varieties.

    It has a great colour depth, great intensity and aroma concentration, with black fruits, blackberries, blueberries and black plums. The high fruit concentration is a 2017 characteristic. In the mouth the obvious black fruits, complex with a very good structure, firm tannins, freshness and good acidity, in a half-dry style. With a long and persistent aftertaste. A complexity that will develop in the coming decades, a reward for patience.

    Churchill's Quinta da Gricha Vintage Port 2017

    Only a very small quantity of this vintage was produced and will be available. It is made from the Quinta da Gricha old vineyard grapes, a field-blend in which the Tinta Roriz, Touriga Francesa, Tinta Barroca and Tinta Francisca grape varieties predominate.

    It has a deep and dark ruby colour, more exuberant, with aroma intensity, floral and with fruit concentration, black fruit notes and spice suggestions. It has an intense flavour, complex and with a good structure, freshness and elegance. A drier style. With a long finish and a vigor that ensures many years of evolution.
   A single quinta vintage that expresses the "G" factor, i. e., the Quinta da Gricha old vineyards and terroir character.

    (tasting with JG and RPN, 28May2019)

Le vin à la bouche!
Churchill's e Quinta da Gricha Vintage 2017
     O ano de 2017 vai ficar na história do Douro e do vinho do Porto por vários factos excepcionais, por ter sido um ano absolutamente atípico, com condições climatéricas invulgares, um ano extremamente quente e seco que determinou uma vindima muito precoce, que foi antecipada para datas de que não há memória no Douro (mais informação: Douro, o relatorio da vindima 2017). Para a Churchill's, foi a vindima mais precoce realizada na Quinta da Gricha. 
    Depois, dois anos após a vindima, com a primavera de 2019, surgem as primeiras notícias de várias declarações de Porto vintage. É um novo capítulo na história de muitos produtores com o acontecimento raro de 2 declarações de Porto vintage clássico consecutivas (existe declaração clássica quando há um consenso generalizado da grande maioria dos produtores relativamente à qualidade excepcional de um vintage, que é engarrafado com o rótulo ou marca principal da casa), à declaração de 2016 sudede-se agora o Porto vintage 2017.

    Um acontecimento raro na longa história do vinho do Porto para a maioria dos produtores e único para muitos.

    2017 foi sem dúvida mais um ano excepcional, com vinhos de grande qualidade, o que acabou por impôr a decisão de declaração vintage com a principal marca de cada produtor.

    Tal como já tinha sucedido em 2016, também a produção de 2017 foi mais reduzida, no entanto, com uvas sãs de grande qualidade (foi determinante a menor incidência de doenças na vinha, consequência do ano mais quente), com mostos de muito boa qualidade, boa côr, estrutura e muita concentração, intensidade de fruta e taninos, como também aconteceu na Churchill's. Concentração e estrutura são as principais características dos vintages deste ano.

    Na Churchill's, pela primeira vez na sua história, desde 1981, declararam-se dois vintages clássicos em anos consecutivos, um acontecimento único.
    Os vintages da casa seguem o método tradicional de vinificação, com pisa a pé e maceração prolongada durante 5 dias em lagares de granito (as uvas são vinificadas com engaço), com uma maceração menos agressiva e mais uniforme, que preserva as características naturais da uva e potencia a melhor expressão da qualidade, complexidade e perfil aromático dos mostos. A fermentação é natural sem adição de leveduras e é mais prolongada, preservando assim mais álcool natural e sem necessidade de adicionar tanta aguardente vínica no processo de fortificação.

    As impressões dos Vintages provados (provado em amostra antes do engarrafamento):

    Churchill's Vintage Port 2017

    Um Vintage que tem origem num field-blend de vinhas velhas localizadas no Douro Superior e no Cima Corgo que incluí as castas Touriga Nacional, Touriga Francesa, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Tinta Francisca e Tinto Cão.

    Com grande profundidade de côr, grande intensidade e concentração de aromas de frutos negros, mirtilos, amoras e ameixas pretas. A concentração de fruta é uma característica do ano. O sabor também com frutos negros óbvios, é complexo e com boa estrutura, com taninos firmes, frescura e boa acidez, num estilo meio-seco. Com um final longo e persistente. Uma complexidade que se vai desenvolver nas próximas décadas, um prémio para a paciência.

    Churchill's Quinta da Gricha Vintage Port 2017

    Foi produzida e estará disponível uma pequena quantidade deste Vintage, com origem nas uvas da vinha velha da Quinta da Gricha, um field-blend em que predominam as castas Tinta Roriz, Touriga Francesa, Tinta Barroca e Tinta Francisca.

    A côr é de um rubi muito escuro, com muita intensidade de aromas, mais exuberante, com aromas florais, com concentração de fruta e aromas de frutos negros e sugestões de especiaria. Com sabor intenso, um conjunto complexo e com boa estrutura, frescura e elegância. Um estilo mais seco. Com um final prolongado. Com um vigor que assegura muitos anos de evolução. 
    Um Vintage de quinta que exprime o factor "G", i.e., o terroir e o carácter das vinhas velhas da Quinta da Gricha.

    (provado com JG e RPN em 28Maio2019).


©hsm










Sem comentários :

Enviar um comentário