sábado, 12 de outubro de 2019

4 questions to the "PortRebels"

EN/PT
with "PortRebels" permission, Melle Meivogel photography
    They are an example of the perfect antidote against the persistent misconception and the still prevalent prejudice that associates the image of Port wine mainly with formal occasions or special events and annual festive seasons or with a certain kind of conservative environments and also a style of wine that is only drunk at the end of meals, in short, "the wine of honour, for congratulations and toasts". It´s time to definitively review and update these persistent wrong ideas, because Port wine reality today is simply very different.

    Let's meet and get to know a little more about the enthusiastic "PortRebels", dedicated to spreading the Port wine word in the Netherlands... undoubtedly a high and noble cause...

    Also good news is the book "PortRebels Port book", which is currently being prepared and will be published in english, wich we are looking forward to in the very near future. It will certainly be a very interesting work with a new and particular look "from the outside" of the region and country, about Port wine and the Douro.

PtoPwine:  Who are the "PortRebels" and your main activities?
PortRebels:  We are three rebellious women from the Netherlands - Jindra, Marga and Annemieke - who blog about Port wine. Our goal is to dust off the old granny image people have of Port wine. Ultimately we want to enthusiast younger people for this interesting wine and its region - the Douro.
    The last few years we organized successful Port tastings. They all had a special twist. With every tasting we tried to match the Port wine with the interest of the younger public. So, we had dj's or live music playing, tasty bites, Port cocktails and of course the best Port wines - from rosé Port to exclusive Vintage. With an average of 80 guests per tasting it felt like a good way of attracting young people into the Port wine world.

    On our website, we blog about our tastings and visits to the quintas in the Douro. It is not a typical wine tasting blog, because we try to attract a new public. With a balance between detailed wine information and fun stories about the families, the quintas and of couse about ourselves.

    Right now we are focusinh on writing our PortRebels Port Book to inform and enthusiast the reader on the basis of short stories on the various wineries all packed in a great book full with appealing imagery. It is not a standard history and Port variants book, but a glimpse into the surprising world of Port on the basis of the actual daily practice. A fresh book for those who are looking for taste and authenticity.

PtoPwine:  How did your interest and enthusiasm for Port wine began?
PortRebels:  Like many other people we have visited Porto as tourists and enjoyed several special Port wines in cute little cafés. Back in the Netherlands we noticed that friends, family and even cafés and restaurants know little about Port wine. That was why four years ago we got together, each bringing our favourite Port wine and started brainstorming about building our blog PortRebels. With the goal of challenging a younger public to try Port wine instead of wine or beer. Since then our interest in Port wine only grew and grew  and luckily we could interest a lot of people to join us.
with "PortRebels" permission, Melle Meivogel photography
PtoPwine: What is your favorite Port wine style and/or the perfect Port? Why?
PortRebels: Because we are three women, all having a different taste, we do not have one favorite. Two of us prefer ruby style Port wines, especially Vintage Port wine. Myself, I love tasting 30 year old tawny Port wines. The different layers and nutty taste always surprises me. The most extraordinary Port experience we had was during our last trip to the Douro, when several quintas let us taste their oldest Port wines with ages up to 150 years old. That was an amazing experience, tasting a piece of history.

    What we all three agree upon is that the 20 year old white Ports should get more attention. Those can be spectacular, with in general a less sweet taste. Therefore an interesting Port wine for a potential new Port lover.

PtoPwine: What are your impressions of the Douro region and Porto?
PortRebels: The Douro is one of the most beautiful wine regions in the world. You can visit big commercial Port wine quintas that give you a fresh, well organized tour. But if you like, you can also visit smaller quintas and talk to the "nose" and winemaker yourself. We have visited many quintas and every one of them is an adventure, but there are four who were extra special. 
    First, there is Quinta do Vallado where we spoke to Francisco Ferreira about how to develop a Port wine as a winemaker. Also he told us about Dona Antónia Adelaide Ferreira, a very rebellious influential woman in Port history. At Quinta de Santa Eufémia we felt part of the family, had a terrific lunch together, stayed overnight and got special insights on the Port wine industry. A special mention for the sisters Luísa and Maria Vieira de Sousa. Together they run a very successful quinta, their 20 white Port wine is worth making a detour for. Last but not least our visit to Martha's, where we met Rita and her family. Martha's makes exceptional tawnies, with a specific family owned taste. In the 30 year old tawny you can search for a little color of green as a result of the excelent blending process.


4 perguntas às "PortRebels"
with "PortRebels" permission, Melle Meivogel photography
    São o exemplo do perfeito antídoto contra o persistente equívoco e preconceito que associa a maioria das vezes a imagem do vinho do Porto apenas a ocasiões ou acontecimentos formais ou a um vinho que se bebe apenas no final das refeições ou então a um certo tipo de ambientes antiquados, "o vinho de honra, de parabéns e de brindes". É tempo de definitivamente revêr e actualizar estas ideais feitas, porque o vinho do Porto hoje é simplesmente muito diferente desta imagem.

    Vamos ficar a conhecer um pouco melhor as entusiásticas "PortRebels", que se têm dedicado a espalhar a palavra do vinho do Porto no seu país de origem, a Holanda. Sem dúvida uma causa nobre e elevada...

    São também boas notícias, a preparação do livro "PortRebels Port book", que será editado em inglês e do qual aguardamos mais novidades num futuro próximo, será concerteza um trabalho muito interessante com um novo e particular olhar "de fora" da região e do país, sobre o Douro e o vinho do Porto.

PtoPwine: Quem são as PortRebels e quais as vossas principais actividades?    
PortRebels: Somos três mulheres rebeldes holandesas, Jindra, Marga e Annemieke, que escrevem sobre vinho do Porto no blog PortRebels. O nosso objectivo é desempoeirar a imagem envelhecida que as pessoas têm do vinho do Porto. Em última análise, queremos entusiasmar os mais jovens para este interessante vinho e para a sua região - o Douro.
    Nos últimos anos organizamos degustações bem sucedidas com vinho do Porto. Todas tiveram um toque especial e em cada degustação tentamos aproximar o vinho do Porto dos interesses do público mais jovem. Tivemos dj's ou música ao vivo, petiscos saborosos, cocktails com Porto e, claro, os melhores vinhos do Porto - do Porto rosé aos Vintages mais exclusivos. Com uma média de 80 convidados em cada prova, parece-nos uma boa maneira de atrair os mais jovens para o mundo do vinho do Porto.

    No nosso site escrevemos sobre as nossas provas e visitas às quintas no Douro. Não é o típico site com descrições de provas de vinhos, porque a finalidade é tentar atraír um público mais novo. Com um equilíbrio entre informações detalhadas sobre vinhos e histórias divertidas sobre os produtores, as suas famílias, as quintas e, claro, sobre nós mesmas.

    Actualmente estamos concentradas na preparação do nosso "PortRebels Port book", para informar e entusiasmar o leitor com base em histórias curtas sobre vários produtores, num conjunto composto num óptimo livro com imagens atraentes. Não se trata de uma variante dos livros sobre o vinho do Porto e sua história, mas um vislumbre do mundo surpreendente do Porto, com base na prática real e diária. Um livro novo para quem procura gosto e autenticidade.

PtoPwine: Como teve início o vosso interesse e entusiasmo pelo vinho do Porto?
PortRebels: Tal como muitas outras pessoas, visitámos a cidade do Porto como turistas e desfrutamos de vários vinhos do Porto especiais em pequenos e bonitos cafés. De volta à Holanda, apercebemo-nos que amigos, família e até mesmo cafés e restaurantes têm pouco conhecimento sobre vinho do Porto. Foi por isso que há 4 anos atrás nos reunimos, cada uma com o seu vinho do Porto preferido e começamos então a pensar na criação do nosso blog PortRebels. Com o objectivo de desafiar um público mais jovem a experimentar um vinho do Porto em vez de simplesmente um vinho de mesa ou cerveja. Desde então, o nosso interesse pelo vinho do Porto só aumentou e felizmente podemos interessar muita gente para se juntar a nós.
    with "PortRebels" permission, Melle Meivogel photography
PtoPwine: Qual o vosso vinho do Porto favorito ou o Porto perfeito? e porquê?
PortRebels: Porque somos três, todas com um gosto diferente, não temos um favorito. Duas de nós preferem vinho do Porto do estilo ruby, especialmente vinho do Porto vintage. Eu gosto de provar vinhos do Porto tawny com 30 anos de idade. As diferentes camadas de aromas e sabores de frutos secos surpreendem-me sempre.
    A experiência mais extraordinária com vinho do Porto que tivemos foi durante a nossa última viagem à região do Douro, onde vários produtores nos deixaram provar os seus mais antigos vinhos do Porto tawny com idades até 150 anos. Foi uma experiência incrível, foi saborear um pedaço de história.

    Mas o que todas nós concordamos é que os vinhos do Porto brancos com 20 anos de idade devem ser olhados com mais atenção. Podem ser espectaculares e, em geral, com um sabor menos doce. Portanto, um vinho do Porto muito interessante para um potencial novo interessado neste estilo de vinho.

PtoPwine: Quais são as vossas impressões sobre a região do Douro e o Porto?
PortRebels: O Douro é uma das mais belas regiões vinícolas do mundo. É possível visitar grandes quintas comerciais, que proporcionam um passeio refrescante e bem organizado. Mas se preferirmos também podemos visitar quintas mais pequenas e falar directamente com quem produz o vinho. Visitamos muitas quintas e cada uma delas é uma aventura, mas houve quatro que foram especiais.
    Em primeiro lugar, a Quinta do Vallado, onde falamos com Francisco Ferreira, sobre como produzir um vinho do Porto como enólogo. Também nos falou sobre Dona Antónia Adelaide Ferreira, uma mulher rebelde com uma influência muito grande na história do vinho do Porto. Na Quinta de Santa Eufémia sentimo-nos como parte da família, tivemos um almoço incrível, passamos a noite e ficamos com conhecimentos especiais sobre a indústria do vinho do Porto. Uma referência especial para as irmãs Luísa e Maria Vieira de Sousa. Juntas, elas administram uma quinta muito bem sucedida. Vale a pena fazer um desvio para conhecer o seu vinho do Porto branco com 20 anos de idade. Por último, mas não menos importante, a nossa visita à "Martha's", onde nos encontramos com Rita e a sua família. A "Martha's" faz tawnies excepcionais, com um gosto específico. Nos seus tawnies de 30 anos podemos procurar um pouco dos laivos esverdeados, resultado do excelente processo de lotação.

©hsm

May also interest / também pode interessar:




Sem comentários :

Enviar um comentário